• Frete GrátisAcima de R$100 *
  • 36 Lojas FísicasDesde 1958
-20%
Deflazacorte 30mg Com 10 Comprimidos Genérico Ems
Clique na imagem acima para ampliar

Deflazacorte 30mg Com 10 Comprimidos Genérico Ems

Composição: DEFLAZACORTE
Cód. do produto: 28272
Outros produtos: EMS
Medicamento Genérico Lei- n°9.787 de 1999
Disponibilidade: Disponível
De: R$97,90
Por: R$78,32
ou 2x de R$39,16 sem juros
CALCULE O FRETE:
Se persistirem os sintomas o médico deverá ser consultado.
Deflazacorte 30mg Com 10 Comprimidos Genérico Ems é um medicamento, seu uso pode trazer riscos. Procure o médico e o farmacêutico. Leia a bula.

Comprar Deflazacorte 30mg Com 10 Comprimidos Genérico Ems com melhor preço na Drogaria Net Online!

Informações do produto
- Fabricante: EMS
- Uso Oral
- Uso adulto
Características do produto
COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?
O deflazacorte é um glicocorticoide que possui ação anti- inflamatória e imunossupressora. Tempo médio de início de ação Após a administração oral, deflazacorte é bem absorvido e imediatamente convertido ao metabólito ativo, o qual alcança
concentrações plasmáticas em 1,5 a 2 horas.
Indicação
Este medicamento é destinado ao tratamento de:
Doenças reumáticas: artrite reumatoide (inflamação crônica das articulações), artrite psoriásica [tipo de artrite inflamatória associada com psoríase (doença inflamatória e crônica da pele)], espondilite anquilosante (inflamação da coluna e grandes
articulações, como quadris, ombros e outras regiões), artrite gotosa aguda (inflamação da articulação associada à gota), osteoartrite pós-traumática (doença que destrói lentamente a
articulação e se inicia após um trauma), sinovite (inflamação da
membrana que envolve as articulações) por osteoartrite (doença que degenera as articulações), bursite aguda e subaguda [inflamação da bolsa sinovial (pequena bolsa que contém líquido e envolve as articulações)], tenossinovite aguda não específica (inflamação da membrana que recobre o tendão), epicondilite (inflamação dos tendões do cotovelo). Doenças do tecido conjuntivo: lúpus eritematoso sistêmico
[doença multissistêmica auto-imune (o sistema de defesa ataca o
próprio corpo)], dermatomiosite sistêmica (polimiosite) (doença
inflamatória crônica ou subaguda do músculo, da pele e/ou do tecido responsável pelo preenchimento dos espaços vazios e pela ligação entre órgãos e tecidos), cardite reumática aguda
(inflamação das camadas do coração), polimialgia reumática (doença caracterizada por dor intensa e rigidez nos músculos do pescoço, dos ombros e quadris), poliarterite nodosa (inflamação das artérias), arterite temporal (inflamação dos vasos sanguíneos
da cabeça), granulomatose de Wegener (doença auto-imune). Doenças da pele: pênfigo (doença que causa o aparecimento de
bolhas na pele e no tecido que reveste as cavidades do corpo), dermatite herpetiforme bolhosa (formação de grupos de pequenas bolhas, com sensação de queimadura intensa e coceira), eritema
multiforme grave (Síndrome de Stevens-Johnson) (forma grave de reação alérgica caracterizada por bolhas em mucosas e grandes
áreas do corpo), dermatite esfoliativa (alteração da pele
acompanhada de descamação), micose fungoide (câncer de
células T da pele), psoríase grave, dermatite seborreica grave (caspa no couro cabeludo, face e outras partes do corpo). Estados alérgicos: controle de reações alérgicas graves ou
incapacitantes que não respondem a medicamentos não esteroidais, rinite alérgica sazonal ou perene (inflamação das membranas que revestem o nariz), asma brônquica (doença pulmonar caracterizada pela contração das vias respiratórias ocasionando falta de ar), dermatite de contato (reação alérgica da pele a determinadas substâncias), dermatite atópica (inflamação
crônica da pele), reações de hipersensibilidade (alergia ou intolerância) a drogas, doença do soro [reação de
hipersensibilidade tardia (após 14 dias) a determinados tipos de
droga ou soro]. Doenças respiratórias: sarcoidose (acúmulo de células
inflamatórias em vários órgãos do corpo), síndrome de Loeffler (inflamação dos pulmões), pneumonia alérgica ou por aspiração (inflamação ou infecção de causa alérgica ou por aspiração de comida, líquido ou conteúdo gástrico para os pulmões), fibrose pulmonar idiopática (formação de tecido fibroso no pulmão). Doenças dos olhos: inflamação da córnea (estrutura transparente
que reveste o olho), uveíte posterior difusa [inflamação da úvea (parte do olho)], coroidite [inflamação da coroide (parte do olho)], oftalmia simpática (inflamação dos olhos), conjuntivite alérgica
[inflamação ou infecção na conjuntiva (parte do olho)], ceratite (inflamação da córnea), coriorretinite (inflamação de partes do olho), neurite óptica (inflamação do nervo do olho), irite [inflamação da íris(parte do olho)], iridociclite [inflamação aguda
ou crônica da íris e corpo ciliar (partes do olho)] e herpes zoster ocular (infecção do olho por um vírus). Distúrbios hematológicos (referentes ao sangue): púrpura
trombocitopênica idiopática (diminuição do número de células responsáveis pela coagulação do sangue), trombocitopenia
secundária (diminuição do número de células responsáveis pela
coagulação do sangue), anemia hemolítica autoimune (diminuição das células vermelhas do sangue), eritroblastopenia
(anemia causada pela ausência de produção de células vermelhas do sangue), anemia hipoplástica congênita (eritroide) (anemia causada pela ausência de produção dos precursores dos glóbulos vermelhos). Doenças gastrintestinais: colite ulcerativa (doença inflamatória do intestino grosso), enterite regional (doença inflamatória crônica que pode atingir qualquer parte do sistema digestivo, mais
comum em algumas partes do intestino), hepatite crônica (inflamação do fígado). Doenças neoplásicas (câncer): leucemia (tipo de câncer que afeta as células de defesa do organismo), linfomas (tipos de câncer que atingem o sistema linfático), mieloma múltiplo (tipo de câncer que afeta alguns tipos de células de defesa do
organismo). Doenças do sistema nervoso: esclerose múltipla (doença
autoimune do sistema nervoso central) em exacerbação. Doenças dos rins: síndrome nefrótica (condição caracterizada
por perda maciça de proteínas na urina). Doenças hormonais: insuficiência suprarrenal primária ou
secundária (incapacidade da glândula suprarrenal em produzir seus hormônios) [a hidrocortisona ou cortisona são as drogas de
escolha; o deflazacorte, devido aos seus poucos efeitos mineralocorticoides, deve ser usado em conjunto com um mineralocorticoide (hormônios que regulam o equilíbrio de sais
e líquidos no corpo)], hiperplasia suprarrenal congênita (distúrbio
presente desde o nascimento caracterizado pela deficiência da
glândula adrenal em produzir cortisona e aldosterona e
hiperprodução de hormônios androgênios), tiroidite não
supurativa (doença inflamatória da glândula tireoide). Devido à propriedade protetora dos ossos, o deflazacorte pode
ser a substância de escolha para pessoas que necessitam de
tratamento com glicocorticoides (tipo de hormônio), especialmente aqueles que apresentam maior risco de osteoporose
(doença que atinge os ossos, causando redução da massa óssea). Seus reduzidos efeitos diabetogênicos (que causam diabetes)
tornam o deflazacorte o glicocorticoide sistêmico de escolha em pacientes diabéticos e pré-diabéticos.
Composição
Cada comprimido de 30 mg contém:
deflazacorte.........................................................................30 mg
excipientes q.s.p.* ..................................................1 comprimido * Excipientes: celulose microcristalina, lactose monoidratada, amidoglicolato de sódio, amido, estearato de magnésio, dióxido
de silício.
Posologia
Você deve tomar os comprimidos com líquido, por via oral. A dose necessária é variável e deve ser individualizada de acordo
com a doença a ser tratada e a resposta do paciente. Uso adulto:
Dose inicial: 6 a 90 mg/dia, dependendo da gravidade dos
sintomas. Uso em crianças:
0,22 a 1,65 mg/kg/dia ou em dias alternados. Assim como para outros glicocorticoides, a suspensão do
tratamento deve ser feita reduzindo-se gradualmente a dose de
deflazacorte. Em doenças menos graves, doses mais baixas podem ser
suficientes, enquanto que as graves podem requerer doses
maiores. A dose inicial deve ser mantida ou ajustada até a
obtenção de uma resposta clínica satisfatória. Se esta não ocorrer, o tratamento deve ser interrompido e substituído por outro. Depois de se alcançar uma resposta inicial favorável, a dose de
manutenção adequada deve ser determinada pela diminuição da
dose inicial em pequenas frações até alcançar a menor dose capaz de manter uma resposta clínica adequada.
Advertências
O deflazacorte não deve ser utilizado nos seguintes casos: - Pacientes com hipersensibilidade ao deflazacorte ou a qualquer
um dos componentes da fórmula; - Pacientes que estejam recebendo imunização (vacina) (possibilidade de disseminação de vírus vivos e/ou falha na resposta das células de defesa).
Informações adicionais
  • Código do produto:
    28272
  • Marca:
  • Código de Barras:
    7896004709291
  • Registro MS:
    1023507250219
  • Princípio Ativo:
    DEFLAZACORTE
Opiniões sobre o produto
Avalie este produto
A sua avaliação passará por uma aprovação antes de ser publicada.
Nome:
Título do Comentário:
Comentários:
Topo